Publicado em 27/07/2021 às 15:44

Institucional, Meio Ambiente

O Porto do Açu deu início nesta sexta-feira (16/07), à implantação da sede da Reserva Particular do Patrimônio Natural Caruara, em São João da Barra. O anúncio acontece no mês em que a Caruara comemora nove anos e vai integrar ainda mais a comunidade à reserva ambiental.

A unidade de conservação, criada de forma voluntária pelo empreendimento portuário, será um polo de conservação, sustentabilidade, educação e atração turística na região, com a criação de uma área de lazer de uso público em consonância com o Plano de Manejo e em defesa do meio ambiente.

“A Caruara teve seu Plano de Manejo construído de forma participativa e foi aprovado pelo órgão ambiental em 2018. Optamos por uma RPPN onde é dado o uso público e, dessa forma, a região contará com uma nova área de lazer, que poderá ser usada pela comunidade de forma gratuita, além de atrair visitantes ao município, valorizando sua riqueza natural. Estamos implantando toda a infraestrutura de um grande parque para o Município de São João da Barra e região”, explica Daniel Nascimento, coordenador da RPPN Caruara.

A implantação deste projeto irá proporcionar oportunidades e serviços na região ligados ao turismo sustentável e toda sua cadeia de serviços e fornecimento. “A Caruara gerou, além do ganho ambiental, ICMS Verde para o município, desde sua criação, em 2012. A projeção é aumentar esse benefício com a estruturação da sede”, estima a secretária de Meio Ambiente e Serviços Públicos do município, Marcela Toledo.

Um dos atrativos será a nova base para o Programa de Conservação de Tartarugas Marinhas. No local, será instalada também a Casa do Pesquisador para potencializar e dar suporte a pesquisas científicas na reserva.

Também será construída a Sede de Visitação, que contemplará uma programação cultural, educacional e esportiva, além de espaço com paisagismo, com uso de espécies de restinga, parquinho para crianças, estacionamento e acessibilidade. O projeto da sede é inclusivo, obedece aos parâmetros mais rígidos de construções sustentáveis e tem como maior objetivo o engajamento de todos os atores que usam o espaço, em prol da conservação da Lagoa de Iquipari e do ecossistema de restinga.

O projeto foi aprovado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e já recebeu todas as licenças necessárias para instalação e construção. A expectativa é de que as obras sejam iniciadas no início do segundo semestre deste ano, com previsão de conclusão de todas as estruturas para o primeiro trimestre de 2022.

Sobre a Reserva Caruara

Com área total de quatro mil hectares, a RPPN Caruara é a maior unidade privada dedicada à preservação do ecossistema de restinga do Brasil. Na Caruara são desenvolvidos trabalhos de restauração florestal e monitoramento de fauna e flora, utilizando a mão de obra das comunidades do entorno. Hoje, cerca de 40 moradores da região trabalham no espaço.

Todas as mudas plantadas na reserva são produzidas em um viveiro próprio, com capacidade de produção de 500 mil mudas por ano – o que totaliza 1,3 milhão de mudas de 88 espécies. Em toda a área preservada, foram identificadas 292espécies de flora e 573 de fauna, incluindo espécies criticamente ameaçadas de extinção, como o Melocactus (Melocactusviolaceus), o Lagarto do Rabo Verde (Ameivulalittoralis) e a Borboleta da Praia (Paridesascanius).

A Caruara também produz material acadêmico e científico: são 24 pesquisas desenvolvidas, 66 publicações (resumos, artigos, teses e monografias) e 48 participações em eventos científicos. A restinga é reconhecida pelos prêmios Firjan Ação Ambiental, Selo Verde Instituto Chico Mendes, Benchmarking Brasil e 14º Prêmio Brasil Ambiental.

Trabalhe Conosco

Faça parte da nossa rede de talentos!