O empreendimento

Porto do Açu: soluções em infraestrutura e energia para o Brasil

Cobrindo uma área de 90 km² e localizado estrategicamente no norte do estado do Rio de Janeiro, o Porto do Açu está a aproximadamente 150 km da Bacia de Campos.

Atualmente em operação, o Porto possui 17 km de cais e até 23m de profundidade, com capacidade para receber navios de grande porte, como Capesize e Very Large Crude Carrier (VLCCs), que transportam até 320 mil toneladas de carga.

Dentro dos conceitos mais modernos de porto-indústria, o Porto do Açu conta com um Distrito Industrial e uma retroárea para armazenamento e movimentação de carga.


Conheça alguns dados sobre o porto:

• O Complexo Portuário do Açu está em operação desde outubro de 2014 e já figura como o 7º terminal privado em movimentação de cargas no país (dados Antaq). Ao longo de 2016, o Complexo Portuário do Açu recebeu um total de 966 embarcações comerciais. Somente em janeiro deste ano, foram registrados os acessos de 129 navios;

• A receita líquida acumulada da Companhia de janeiro a setembro de 2016 foi de R$ 319 milhões, o que representa um aumento de 20% sobre à receita referente ao mesmo período do ano anterior (R$ 266 milhões). A receita líquida contempla o valor recebido com o aluguel de áreas e com movimentação de cargas;

• No Complexo Portuário do Açu já foram investidos mais de R$ 12 bilhões (até o 3º trimestre de 2016) na infraestrutura do empreendimento e em unidades das empresas que estão operando no local;

• Entre os terminais em operação está o Terminal de Petróleo (parceria da Prumo com a alemã Oiltanking), que realiza, desde agosto de 2016, o transbordo de petróleo para a BG E&P Brasil Ltda., subsidiária da Royal Dutch Shell. A Ferroport (parceria entre a Prumo e a Anglo) iniciou em outubro de 2014 a operação do terminal de minério de ferro no porto, sendo que somente em 2016 foram movimentados 16 milhões de toneladas de minério de ferro no empreendimento;

• Também está em operação, desde junho de 2016, o Terminal de Combustíveis Marítimos do Açu (parceria da Prumo com a BP), que comercializa combustível marítimo para embarcações que trafegam na costa brasileira. O Terminal Multicargas (T-MULT) é um terminal controlado integralmente pela Prumo e que, desde 2015, já movimenta bauxita, carvão, coque e cargas gerais (como caminhões usados em mineração, equipamentos para sondas, entre outros);

• Além disso, outras empresas já têm seus terminais em operação no empreendimento. Entre elas estão a Technip – empresa com presença global e que construiu no complexo a sua maior unidade; a Edison Chouest, com a maior base de apoio offshore do mundo; a NOV e a InterMoor;

 

• Atualmente, o Complexo Portuário do Açu emprega cerca de 4,5 mil pessoas. Somente a Prumo, direta e indiretamente, emprega mais de 1.200 pessoas da região. Desde 2014, o Complexo Portuário do Açu já contabilizou mais de 32 milhões homem/hora trabalhadas; ​

 

 Mapas_3D_PORT_baixa.jpg




Terminal 1 (T1)

Dedicado a minério de ferro e petróleo, o Terminal Offshore já recebeu mais de 100 embarcações. Com ponte de acesso de 3 km de extensão, nove píeres, canal de acesso e bacia de evolução, o T1 pode atualmente receber navios do tipo Panamax e Capesize, e seu projeto de expansão contempla recebimento de embarcações maiores, como VLCCs, em 2017.

Com licença para movimentar até 1,2 milhão de barris diários de petróleo e projetado para acomodar os maiores navios petroleiros da categoria (VLCCs), o terminal de petróleo teve sua primeira operação de transbordo em 2016, com a BG Brasil. O contrato com a BG, de 20 anos, prevê 200.000 barris diários de capacidade.

Em agosto de 2015, a Oiltanking adquiriu 20% da subsidiária do terminal de petróleo no Porto do Açu, pelo valor de US$ 200 milhões. Além de acionista, a Oiltanking opera o terminal de transbordo de petróleo e armazenamento em terra.​

 

 

Terminal 2 (T2)

Com 6,5 km de extensão, 300m de largura e 14,5m de profundidade na primeira parte e 10m na segunda, o Terminal Onshore da Prumo é composto pelas áreas do entorno do canal, com grande acesso ao cais.

O terminal já está operacional, com importantes clientes da cadeia de suprimentos offshore, como NOV, Technip, InterMoor e Wärtsilä trabalhando a partir do Açu. A Edison Chouest, que possui a maior base de apoio offshore do mundo, com 16 berços, sendo seis berços dedicados à Petrobras, inicou suas operações em maio deste ano.

Junto ao terminal offshore já são desenvolvidos dois outros projetos: o T-MULT (Terminal Multicargas), que iniciou a movimentação de bauxita e coque em 2015 e deve movimentar cargas, rochas ornamentais, veículos, granéis e cargas líquidas e sólidas; e o terminal de combustíveis marítimos (TECMA), uma joint venture entre Prumo e BP, para importação e venda de combustível marítimo, também já está em operação.​​​

Conheça algumas das empresas instaladas no Complexo Industrial do Porto do Açu.Mais informações
Conheça os acessos rodoviários e ferroviários que levam ao Porto do Açu.Mais informações